theme: cerejadosundae, details: +;+ . Don't copy.
/ Next

"Mas não te procuro mais, nem corro atrás. Deixo-te livre para sentir minha falta, se é que faço falta… Tens meu número, na verdade, meu coração, então se sentir vontade de falar comigo ou me ver, me procura você." Caio Fernando de Abreu


meu
diva

minha
Quem disse que a dor não te faz crescer ?!


Alice,
Você me disse que sua vida anda tanto faz. Eu lembro que respondi algo do tipo: “se a gente se acomoda perde muita coisa”, entretanto pelo o que ando observando dentro dos olhares alheios, a sua vida não é a única a ter tomado esse rumo. A gente se acostuma. A ter uma vida nem boa nem ruim. Desde que ela não exija o que nos é essencial, a gente suporta. Não porque é mais fácil, mas porque é menos doloroso. As pessoas a nossa volta ficam soprando vida por nossos lábios, como se isso fosse suficiente para que nossa pele deixe de lado a palidez mórbida habitual. Por um tempo nossos pulmões correspondem. Nos enchemos de “vai ficar tudo bem”, “estou sentindo que algo muito bom vai acontecer”, “é só ter fé e continuar”, “amanhã vai ser um novo dia”. E nos benzemos com esses mantras a cada novo amanhecer. Esperançosos. Cheios de expectativas. Com o pensamento grandioso. Elevamos nosso espírito. Ai que lembro que mais ou menos uma semana depois disso você veio me falando que agora tanto faz. E eu fiquei me perguntando: “O que aconteceu com o: vai ficar tudo bem?”. Você não soube explicar. Só disse que não valia mais a pena. Que as coisas são melhores assim. São mesmo? Acho que você exige demais de si mesma. Não só você, todos nós. Queremos grandeza. Queremos ser o máximo. E pior: queremos chegar ao topo e que todos nos admirem por termos chegado lá. Não há nada de errado em querer essas coisas. Mas pelo o que eu andei observando, como já lhe disse, pelas olheiras cansadas, pelas cabeças reclinas nos assentos de ônibus, pelas pálpebras ambiciosas dos leitores assíduos, o que se quer não é isso. Você só quer que alguém veja que você é uma boa pessoa. Que através dessas tuas fugas constantes do que lhe preenche o peito, tudo o que lhe faria bem seria alguém observando a forma como move as coisas ao seu redor. Eu tenho um grande amigo, o Marlon sabe? Acho ele o máximo. Sempre que posso digo isso. Mas não importa de quantas maneiras eu abra os olhos pro ser extraordinário que a luz dele joga sobre mim, ele nunca se dá por satisfeito. E qualquer olhar ou palavra mordaz que alguém lhe lança já o faz se desfazer em mil pedaços. Eu nunca vou entender porque as pessoas precisam tanto da aceitação dos outros pra ser o que elas querem. Nunca vou entender essa coisa louca que elas têm de precisar ser feliz de acordo com o outro, de ajustar suas expectativas em relação aos ideais alheios, a mover seus sonhos de acordo com fragmentos difusos de pessoas mal conhecidas. Nunca vou entender essa nossa necessidade de só sentir bem, só sentir completo na presença de outra pessoa. Porque se a gente se bastasse, nossa. E nossa é a única palavra que eu consigo decodificar. Ser tanto faz nos diminui. Ser tanto faz é desistência. É pecado grave que o universo faz questão de nos cobrar depois. Por isso Alice: se perdoe. Você tem que se perdoar. Só podemos nos elevar até certo pouco. Só podemos ir em frente até certo ponto também. Cada um tem o seu tempo. É um saco, mas é verdade. Pare de ficar se forçando. Para de ficar exigindo demais de si mesma e principalmente dos outros. E ah, perdoe eles também. Eles estão tão perdidos quanto você. E eu sei que você vai me dizer que você sim os nota, que você sabe de suas lutas diárias e dos seus joelhos ralados e que eles deveriam saber das suas também. Que deveriam olhar para esses teus arranhões superficiais. E esse é mais um motivo pra você cuidar mais de si mesma. Não estou dizendo pra ser egoísta. Mas cá entre nós: eles sabem que você vem os observando, que você os compreende. Isso os assusta também. Lembre-se: só podemos ajudar até certo ponto. Mesmo que esse ponto seja a dois metros de distancia com a cabeça cabisbaixa. Sabe, às vezes somos tomados por aquela estranha sensação que estamos olhando nossas vidas de um binóculo. Como se o universo reservasse um momento para sermos deixados de lado. Paralelos ao mundo. A nós mesmos. Fechamos os olhos e acreditamos que seremos salvos. Que algo muito maior que nos mesmos está por vir. E que se pedirmos com jeitinho para isso acontecer, se pedirmos com todo o nosso coração, alguma parte do universo escutará. E acredite Alice, quando a vontade vem do fundo da alma, não há galáxia nesse mundo que não a faça real. Pense nisso.
Com carinho,
L.

Kehl, Luisa. Sobre estar só.   (via vocabulosdosilencio)

(Source: luisakehl, via jeitodesorrir)

2/07/2014 às 9:12pm · 855 notes · reblogue

Fica bem, mas fica só comigo.

(Source: pgarei, via misteriosdeumgaroto)

2/07/2014 às 9:10pm · 20 notes · reblogue

Meu medo é me entregar, e depois me arrepender. 👌👌

(Source: grrog, via misteriosdeumgaroto)

2/07/2014 às 9:10pm · 769 notes · reblogue

A gente lembra do passado e sorri, ou muitas vezes chora.

Felicidadeadois.  (via felicidadeadois)

(Source: FELICIDADEADOIS.TUMBLR.COM, via jeitodesorrir)

2/07/2014 às 8:58pm · 27,098 notes · reblogue

Que mimimi do crlh, vai se foder 👌

(Source: r-aparigueiro, via misteriosdeumgaroto)

2/07/2014 às 8:56pm · 3,295 notes · reblogue

Realmente não sei,
o que você tem
que me tem tanto.

Gabriel Sander.   (via teleportear)

(Source: repouse, via jeitodesorrir)

2/07/2014 às 8:56pm · 38,546 notes · reblogue


(Source: assediou, via a-moriza-de)

2/07/2014 às 8:54pm · 12,411 notes · reblogue


2/07/2014 às 8:53pm · 2,192 notes · reblogue


2/07/2014 às 8:51pm · 2,084 notes · reblogue

amor é quando a pessoa dorme no telefone e você não desliga

(Source: palesttina, via hellobreast-s)

29/06/2014 às 2:25am · 8,534 notes · reblogue